A História da famosa São Silvestre

Criada pelo jornalista Cásper Líbero, que se inspirou em uma corrida francesa, nascia, em 1924, a São Silvestre. Ela foi disputada na noite do dia 31 de dezembro pelas ruas de São Paulo, marcando a virada do ano.

O nome foi escolhido em homenagem ao Santo do dia.

Diferentemente do que acontece hoje, a prova, sinônimo de festa entre homens e mulheres na capital paulista, iniciou sua trajetória permitindo apenas a participação de homens.

Campeões da São Silvestre

O primeiro vencedor foi Alfredo Gomes.

A São Silvestre foi sofrendo transformações ao longo dos anos.

Até a 20ª edição, tinha a participação apenas de atletas brasileiros.

A partir de 1945 ganhou a presença internacional, com competidores dos vizinhos Chile e Uruguai. Foi o estopim para a chegada de outros corredores das Américas, europeus, africanos e asiáticos.

Campeãs chegam às provas

Em 1975, foi criada a competição feminina, no mesmo ano em que a ONU (Organização das Nações Unidas) instituiu o Ano Internacional da Mulher.

A primeira campeã foi a alemã Christia Valensieck.

Mudanças técnicas ao longo dos anos

O final dos anos 80 e começo dos anos 90 ficaram marcados pelas mudanças de ordem técnica.

Em 1989, os organizadores inverteram o sentido do percurso e separou-se a corrida masculina da feminina, dando mais enfoque a ambas. O horário também mudou. Ao invés de largar à noite, a prova começou a ser disputada à tarde.

Já em 1991, a distância chegou aos atuais 15 mil metros (15 km). A alteração aconteceu para atender às especificações da IAAF (Associação Internacional das Federações de Atletismo).

E as novidades não pararam por aí. Em 1998, os corredores da São Silvestre passaram a usar chip para cronometragem e a organização da prova abriu as duas pistas da avenida Paulista para a chegada.

Quem corre uma SÃO SILVESTRE nunca esquece! É uma das corridas mais famosas e esperadas do ano!

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here