Na vida moderna, os pequenos incômodos são os fatores que mais predispõem ao estresse  no trabalho  e no estresse emocional , como por exemplo parentes doentes, colegas de irritados, tráfego congestionado  e espera em longas filas.

Em situações de perigo, o estresse começa nas profundezas do cérebro, onde uma estrutura chamada hipotálamo dá o alerta às glândulas adrenais, que respondem despejando na circulação sanguínea os hormônios epinefrina e adrenalina para a clássica reação de luta ou fuga.

O pulso se acelera à medida que a adrenalina eleva a frequência cardíaca, mandando sangue extra para os músculos e para os órgãos. Os brônquios se dilatam e o oxigênio extra chega ao cérebro, o que ajuda a nos manter alertas. O cabelo e os pelos  se eriçam porque a adrenalina contrai os vasos sanguíneos que abastecem a pele, impedindo assim um sangramento excessivo caso o oponente lhe fira seriamente.  Finalmente, a adrenalina mobiliza o corpo para liberar reservas de energia.

Pessoas cronicamente ansiosas ou com problemas psicossomáticos possuem um padrão específico de reação ao estresse: o corpo se mobiliza para enfrentar o desafio e não consegue parar quando cessa o problema. Passado o perigo, o corpo deveria relaxar, recuperando as energias gastas e reunindo forças para enfrentar a próxima situação, mas nem sempre isso acontece. Numerosos estudos científicos já revelaram que:

  • Em situações de estresse o organismo libera um hormônio chamado cortisol, que torna as células menos sensíveis à leptina. A leptina é responsável pela sensação de saciedade (no cérebro) e nesta situação a pessoa sente mais vontade de ingerir açúcar e tende a comer mais. Assim, o  estresse desencadeia um círculo vicioso que leva facilmente  ao ganho de peso.
  • Pessoas estressadas tendem a comer menos vezes por dia. O fracionamento das refeições (comer mais vezes em menor quantidade) é importantíssimo, pois no jejum prolongado o organismo também libera cortisol.
  • O estresse pode diminuir os níveis de testosterona, o que pode resultar em uma maior perda de massa muscular e maior acúmulo de gordura. Situações de estresse prolongado também podem gerar diminuição da libido e infertilidade.
  • Em situações de estresse prolongado o sistema imunológico é desequilibrado e passa para um estado crônico de inflamação onde as células de gordura fabricam citocinas (moléculas inflamatórias) em excesso, aumentando o apetite e provocando acúmulo de gordura especialmente na região abdominal.

“O melhor antídoto para aliviar o estresse  promover o bem estar é relaxar. Quando o corpo relaxa, os genes que fazem engordar são desativados, o metabolismo é estimulado, a mobilização da gordura depositada aumenta e há maior perda de peso.”, ACRESCENTA Mônica Marques, diretora técnica da Companhia Athletica.

Adicionar ao seu programa de exercícios uma atividade que proporcione relaxamento é uma excelente estratégia ara perder peso! Para quem ainda não encontrou a sua atividade ideal, seguem algumas sugestões de atividades anti-stress que podem ser praticadas na academia:

  • Yoga / Meditação
  • Muay Thai ou Boxe
  • Natação
  • Axis (Liberação miofascial com o uso de rolos)
  • PranaBalls  (exercícios respiratórios com aromaterapia).

Experimente , fuja do stress e emagreça!

 

Quero experimentar uma aula grátis!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here