Quem leva a atividade física a sério faz muito mais do que apenas treinar. Hidratação, descanso, alongamento, vestuário… Ih! A lista de mudanças e adequações do seu estilo de vida é enorme. Mas, como já falamos algumas vezes por aqui, o que você faz fora da academia também te ajuda a alcançar as metas e objetivos muito mais rápido. E um dos itens para se preocupar bastante é a alimentação no pré-treino.

Além de escolhas mais saudáveis no seu dia a dia, você sabia que a sua dieta pré-treino é super importante? O que você come antes de suar na academia precisa dar conta de prover a energia necessária para que o seu corpo tenha uma boa performance durante o exercício.

Mas, afinal, como deve ser a alimentação no pré-treino?

– Carboidratos de fácil digestão:

eles ajudam o organismo a gastar açúcar e energia durante o treino. Entre eles estão: batata-doce, tapioca, frutas e mandioca.

– Evite gorduras em excesso:

nada de manteiga, óleos, creme de leite. Dê preferência para o óleo de coco, que possui absorção rápida e ainda tem efeito termogênico.

– Proteínas:

são melhores amigos na recuperação e manutenção dos músculos. Alguns exemplos: ovos, atum, frango, peito de peru.

– Fibras nem pensar:

elas são importantes para nossa alimentação, mas não no pré-treino. Isso porque, atrapalham a absorção de carboidratos e podem causar desconfortos gastrointestinais.

– Água:

nunca faça exercícios sem estar bem hidratado.

A escolha da composição da sua dieta pré-treino depende de muitos fatores: tipo de treino, intensidade, horário, volume.

A combinação de alimentos ricos em carboidratos e proteínas é uma ótima pedida para o seu pré-treino. Por isso, 1h30 a 2h antes de iniciar as suas atividades, garanta que seu corpo esteja devidamente abastecido para o treino, mas não exagere. Uma média de 30-40g de proteínas e 40-60g de carboidratos é uma boa quantidade para não te deixar com aquela sensação de estar estufado.

Uma dica muito importante é não fazer exercícios em jejum. Isso vai aumentar o risco de quadros de hipoglicemia durante o exercício, dando aquela sensação de mal estar, além de dores de cabeça e náuseas.

Dentro das dicas que citamos, respeite suas preferências alimentares e a sua individualidade biológica. Também é legal o acompanhamento de um nutricionista que irá avaliar individualmente as suas necessidades e te guiar numa dieta personalizada.

Agora é só caprichar nas suas escolhas alimentares e partir para o treino! 😉

Clique no botão e agende uma visita.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here